Foto notícia - Hipertireoidismo – Por que é tão perigoso?

Hipertireoidismo – Por que é tão perigoso?

“Doutor, tenho a tireóide que engorda ou a que emagrece?”

De maneira bem simples, essa é a forma com que muitos pacientes me perguntam se tem hipotireoidismo ou hipertireoidismo ao se deparar com uma alteração de exame de sangue relacionada à glândula tireóide.

E eu já percebi que quando informo a eles que têm hipertireoidismo, que é a situação em que a tireóide produz seus hormônios em excesso e leva a aceleração do metabolismo e perda de peso em muitas (mas não todas) pessoas, alguns chegam a esboçar uma cara de alívio ou até um sorriso…

Ficam felizes porque tem a “tireóide que emagrece”. Mal sabem eles que lidarão com uma doença que tem um potencial de gravidade maior que o hipotireoidismo.

E por que o hipertireoidismo deve ser tratado com seriedade e não como um atalho para perda de peso?

👉🏻 O portador de hipertireoidismo emagrece no sentido correto da palavra, ou seja, perde peso de massa muscular, principalmente, o que provoca quadros de fraqueza, diminuição da aptidão física, cansaço excessivo etc;

👉🏻 Além da perda de músculos o hipertireoidismo enfraquece os ossos, diminui sua densidade, podendo levar a osteoporose e fraturas;

👉🏻 Uma das complicações mais temidas, no caso do hipertireoidismo de causa autoimune ou Doença de Graves, é a oftalmopatia. Nesse caso ocorre uma proliferação da gordura localizada atrás dos olhos e inchaço nessa região, e isso empurra os olhos para fora, dando o aspecto de que estão “esbugalhados”. Como consequência, pode haver mal fechamento das pálpebras que deixam as córneas expostas a lesões, tracionamento do nervo óptico e cegueira, entre outros;

👉🏻 Aumento exagerado da frequência cardíaca que pode levar a arritmias, aumento da pressão arterial, angina e infarto;

👉🏻 Sintomas como calor e suor excessivos, irritabilidade, ansiedade, insônia, tremores etc.

Óbvio que se você tem ou conhece alguém próximo com hipertireoidismo não fique desesperado após ler esse post. A doença tem tratamento e pode ser bem conduzida pelo médico endocrinologista.

Gostou do nosso material?

Continue acompanhando nossos lançamentos semanais, recebendo avisos diretamente
no seu e-mail, assine nossa newsletter e siga nossas redes sociais para ficar ligado!

    Siga-nos nas redes sociais