Foto notícia - Transtorno Compulsivo Alimentar Periódico (TCAP) Рentenda o drama

Transtorno Compulsivo Alimentar Periódico (TCAP) Рentenda o drama

Transtorno Compulsivo Alimentar Periódico

A obesidade √© provocada, em linhas gerais, por um desequil√≠brio entre ingesta cal√≥rica e gasto energ√©tico. Do lado da balan√ßa em que predomina a ingesta cal√≥rica excessiva h√° v√°rios padr√Ķes alimentares incorretos, mas alguns se destacam pela rela√ß√£o muito estreita com dist√ļrbios psicol√≥gicos, dentre eles encontra-se o Transtorno Compulsivo Alimentar Peri√≥dico (TCAP), uma entidade vivida de forma dram√°tica por muitos pacientes que se encontram acima do peso, mas frequentemente negligenciada durante seu tratamento.

E o que é o TCAP?

O TCAP √© classificado como um Transtorno Alimentar, juntamente com outras doen√ßas psiqui√°tricas ligadas a este t√≥pico, como a Bulimia Nervosa, a Anorexia Nervosa e outros transtornos alimentares sem classifica√ß√£o. √Č um dist√ļrbio em que o indiv√≠duo ingere de maneira r√°pida e incontrol√°vel uma grande quantidade de alimento em um curto per√≠odo de tempo e, logo ap√≥s o epis√≥dio, sente culpa e/ou repulsa por si pr√≥prio. N√£o h√°, entretanto, em compara√ß√£o a Bulimia Nervosa, h√°bitos purgativos como tentativa de induzir v√īmito ou uso de laxantes.

A quantidade de alimento ingerida costuma ser muito maior do que a consumida normalmente por outras pessoas e isto desperta um sentimento de vergonha no portador da doença, o que faz com que este hábito seja solitário na maioria dos casos, longe da vista dos seus pares. O constrangimento também pode impedir que o paciente relate estes episódios compulsivos ao médico, tornando seu diagnóstico e tratamento ainda mais difícil.

De acordo com a 4¬™ edi√ß√£o do DSM ‚Äď IV (Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders ‚Äď TR) os crit√©rios para o diagn√≥stico de TCAP s√£o:

A ‚Äď Epis√≥dios recorrentes de compuls√£o alimentar peri√≥dica (excesso alimentar e perda de controle)

B ‚Äď Comportamentos associados √† compuls√£o alimentar (pelo menos 3):

1- Comer rapidamente

2- Comer até sentir-se cheio

3- Comer grandes quantidades de comida mesmo sem estar faminto

4- Comer sozinho por embaraço pela grande quantidade de comida

5- Sentir repulsa por si mesmo, depressão ou demasiada culpa após a compulsão

C – Acentuada ang√ļstia pela compuls√£o alimentar

D ‚Äď Frequ√™ncia de dura√ß√£o da compuls√£o alimentar: m√©dia de 2 dias por semana por 6 meses

E –  N√£o se utiliza de m√©todos compensat√≥rios inadequados (ex: purga√ß√£o)

Estima-se que no Brasil cerca de 6,5% dos homens e 5,5% das mulheres que apresentam sobrepeso ou obesidade tenham crit√©rios para TCAP. Quanto mais acima do peso o indiv√≠duo, maior ser√° a frequ√™ncia de TCAP e √© mais comum que este grupo de pacientes sofram de outros transtornos psiqui√°tricos como depress√£o, ansiedade, s√≠ndrome do p√Ęnico, tenham tra√ßos de personalidade impulsiva, baixa autoestima, entre outros, em compara√ß√£o a outros indiv√≠duos obesos. Al√©m disto, √© mais comum que seus hor√°rios alimentares sejam ca√≥ticos, que j√° tenham se submetido a diversos tipos de tratamentos diet√©ticos, incluindo dietas ‚Äúda moda‚ÄĚ e alguns m√©todos radicais, refletindo uma tend√™ncia de pensamento de ‚Äúou tudo ou nada‚ÄĚ, ou seja, n√£o conseguem ter uma atitude de modera√ß√£o com rela√ß√£o ao h√°bito alimentar.

Como abordar o indivíduo com TCAP?

O tratamento do TCAP não deve centrar-se apenas na figura do médico endocrinologista, ele deve ser multidisciplinar com acompanhamento obrigatório do psicólogo, nutricionista e médico psiquiatra.

Cabe ao nutricionista verificar a distribuição dos horários da dieta, a composição da mesma, quais os horários mais frequentes dos episódios compulsivos, que tipo de alimento serve para disparar estas crises e quais auxiliarão a aumentar a sensação de saciedade, com que velocidade o indivíduo come, como é a mastigação, verificar o diário alimentar do paciente, suas preferências alimentares, etc.

O psic√≥logo, na maioria das vezes, optar√° por uma linha de tratamento conhecida por terapia cognitivo comportamental, onde abordar√° quais os ‚Äúgatilhos‚ÄĚ emocionais para estes epis√≥dios, como ele se sente em rela√ß√£o ao comer compulsivo, verificar a concomit√Ęncia de outros dist√ļrbios psicol√≥gicos associados e que possam estar favorecendo a recorr√™ncia da compuls√£o alimentar e propor t√©cnicas para melhora do autocontrole do indiv√≠duo.

O m√©dico endocrinologista, em conjunto com o psiquiatra, abordar√° o tratamento medicamentoso, que costuma resultar em √≥timo benef√≠cio para este grupo de pacientes, al√©m de verificar a concomit√Ęncia de outras doen√ßas que podem surgir em um indiv√≠duo com excesso de peso e que podem levar a piora do aumento do apetite, como o diabetes, por exemplo.

Acima de tudo, o paciente precisa ser colaborativo e confiar na equipe que está acompanhando seu caso, relatar em detalhes seus hábitos alimentares e como se sente diante deles é a chave para o sucesso terapêutico, por mais difícil (e constrangedor) que isto inicialmente possa ser. Desta forma, o diagnóstico do TCAP, quando ele existir, poderá ser feito de maneira acertada e o tratamento melhor direcionado.

Gostou deste artigo? Clique aqui e cadastre-se para receber dicas de sa√ļde e informa√ß√Ķes sobre endocrinologia!

Gostou do nosso material?

Continue acompanhando nossos lançamentos semanais, recebendo avisos diretamente
no seu e-mail, assine nossa newsletter e siga nossas redes sociais para ficar ligado!

    Siga-nos nas redes sociais